CONSULTA ONLINE

O Portal Saúde coloca à sua disposição um serviço gratuito de esclarecimento do que é a saúde mental e como a pode melhorar.

  » novo registo
» recuperar password
HOME SOBRE NÓS CONTACTOS ADICIONAR REGISTO
Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017 | 49 visitantes online
 
  • Pesquisa
  • Pesquisa Avançada
Palavra, frase, empresa  
Actividade *
Localidade *
 

Boletins Clínicos

Rinite

Processo inflamatório nas fossas nasais, com evolução aguda ou crónica. A rinite aguda pode ser causada por agentes infecciosos virulentos, por factores reumatizantes, por agentes físicos ou químicos irritantes, por agentes alérgicos.

A forma aguda catarral, vulgarmente chamada de constipação, é induzida, pelo menos inicialmente, por um vírus a que se seguem os outros germes (estafilococo, pneumococo, diplococo, Micrococo catarralis, Haemophilus influenzae, etc...) constituintes da flora bacteriana normal das fossas nasais em activa multiplicação.

A reacção inflamatória caracteriza-se por hiperemia e edema da submucosa com hipersecreção das glândulas mucíparas, A mucosa nasal aparece tumefacta e facilmente recoberta por secreção mucopurulenta. A afecção surge com mal-estar, cefaleia, lacrimação, secura e prurido rinofaríngeo, voz nasal, obstrução nasal que se acentua de noite, hipoacusia e anosmia. Pouco depois aparece secreção nasal serosa abundante, que depois se mucopurulenta e purulenta. A evolução dura cerca de 6/8 dias e a terapêutica consiste na aplicação de pomadas, instilações ou pulverizações de preparados de mentol, pinhol, eucaliptol com junção de adrenalina, e efedrina descongestionante. A isto pode acrescentar-se aplicações aerossólicas antibiótico-balsâmicas e fumigações.

No caso dessa forma de rinite não ser primitiva, mas secundária a uma doença geral, ministrar-se-ão, de acordo com os casos, salicilatos, sulfonamidas ou antibióticos. Nos lactentes pode assumir uma gravidade particular, já que estes não são capazes de respirar pela boca e, por conseguinte, se falta a respiração nasal, encontram-se em sérias dificuldades, especialmente para a alimentação mamária. A sintomatologia mais severa (irrequietação, respiração ruidosa, roncante, crises dispneicas, perturbações do crescimento, hematose) impõe, além do tratamento habitual, o uso de aspiradores e de porta-tampões, para procurar manter viáveis as fossas nasais, e instilações de neomicina.

Ao lado da forma catarral encontra-se facilmente a rinite pseudomenbranosa, diferenciável numa forma diftérica e numa outra pseudodiftérica. A primeira é devida à localização nas cavidades nasais do bacilo de Louffler. Encontra-se na maioria dos casos nos lactentes e nas crianças e pode surgir primitiva ou secundariamente a uma angina diftérica. A evolução é bastante atenuada e insidiosa: têm-se os sintomas da rinite banal, com falsas membranas acinzentadas mais ou menos extensas. O descolamento, mediante tampões, dessas membranas faz sangrar a mucosa e acompanha-se de abundante saída de muco e de pus sanguinolentos, de abrasões turvas e crostosas no filtro nasal e nos contorno das narinas, de adenopatia submaxilar. Do nariz, se não for tratada, a infecção estende-se à faringe e induz uma sintomatologia bem mais grave e graves complicações renais ou nervosas. Esta forma de rinite pode dar origem a diversas variedades clínicas, eventualmente sub-reptícias, capazes de requerer exames laboratoriais precisos. O tratamento, uma vez formulado o diagnóstico, consiste numa enérgica seroterapia, em tratamentos antibióticos, cardiotónicos e neurotónicos.

A rinite pseudodiftérica, induzida, por seu lado, pelos vulgares piogénios, determina exsudados serofibrinosos e pseudomembranosos, podendo surgir primitiva ou secundariamente a intervenções endonasais. Tem uma sintomatologia bastante vizinha da forma diftérica e utilizam-se instilações anti-sépticas de argirol ou protargol. O sarampo, a escarlatina, a varicela, o tifo, a gripe são as doenças infecciosas que com mais frequência induzem rinites agudas sintomáticas, as quais encontrarão resolução, através das instilações nasais, e de uma terapêutica geral apropriada da afecção dominante.

De casos repetidos de rinite, ou de rinofaringites agudas ou no prosseguimento de contínuas irritações da mucosa nasal por acção de poeiras, fumos, etc..., surge a rinite crónica simples. É caracterizada pelo aumento da secreção nasal mucosa ou mucopurulenta, por uma obstrução nasal, presente ora numa fossa ora noutra e, eventualmente, por perturbações olfativas.

Como sucede nas perturbações agudas, a infecção poderá difundir-se para o ouvido médio, para as cavidades paranasais ou para as vias respiratórias superiores e inferiores. Procurar-se-à eliminar as suas causas corrigindo os eventuais defeitos anatómicos do nariz, removendo as condições predisponentes possivelmente presentes no local e fazendo uso de adstringentes, de óleos balsâmicos e de inalações.

Em casos em que a rinite crónica não é debelada, assistir-se-á à sua posterior evolução, que poderá atingir a rinite crónica hipertrófica ou a rinite crónica atrófica.

Conhecem-se três tipos de rinite crónica hipertrófica: difusa, papilar e polipóide. Esta forma encontra na estenose nasal o seu sintoma dominante e permanente, apresenta com facilidade complicações faríngicas, laringíticas, amigdalíticas, otíticas e necessita de uma terapêutica galvanocáustica e muitas vezes da descortização e redução dos cornetos.

A rinite crónica atrófica surge preferencialmente em indivíduos linfáticos, em sinusíticos crónicos ou em pessoas com com hereditariedade tuberculosa positiva. Os pacientes acusam sensação de secura do nariz, ardores rinofaríngeos e perturbações olfactivas. A terapêutica, neste caso, procurará parar o processo esclerótico da mucosa mediante toques com solução glicérica iodo-iodurato e instilações de óleo gomenolado. São recomendáveis as curas termais com água salso-bromo-iódicas e as estadias perto do mar.

Voltar

Anúncios Portal Saúde

O Portal Saúde coloca à sua disposição um serviço totalmente gratuito de anúncios. Aqui poderá colocar anúncios de oferta e procura de emprego ou outros, desde que relacionados com a área da saúde. Terá apenas de efectuar o registo aqui. Caso já seja um utilizador registado, por favor introduza o seu nome de utilizador e palavra passe.